PERNAMBUCO EM FALTA NO BRASILEIRÃO

Por Lais Leon

Com dois de seus maiores times marcando presença na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, o estado de Pernambuco não tem construído uma boa reputação no cenário do futebol nacional. O Santa Cruz, embora tenha iniciado o Brasileirão com uma excelente campanha, enfraqueceu consideravelmente nas últimas rodadas, e o Sport, apesar dos avanços nos jogos mais recentes, vem exibindo graves deficiências técnicas.

Ambas as equipes carregam em sua essência a euforia e o entusiasmo, principalmente, no início das grandes competições. Contudo, tais peculiaridades não têm se mostrado suficientes para manter os times em alta ao longo dos jogos. O otimismo tricolor e a empolgação rubro-negra podem ser grandes estratégias para o pontapé inicial nas disputas, mas, sozinhas, não dão conta da demanda técnica exigida para se alcançar constância e qualidade no Campeonato.

O inquestionável mau aproveitamento dos clubes pernambucanos gera a dúvida natural acerca das causas responsáveis por ele. A deficiência no elenco é, normalmente, o primeiro aspecto considerado na análise de desempenho. O Santa Cruz manteve o mesmo elenco do ano passado para compor o time em 2016, deixando a desejar no quesito novas apostas, enquanto o Sport arriscou com muitos jogadores estrangeiros contratados.

O fato é que discernir os Campeonatos é necessário para uma boa atuação. O elenco tricolor se mostrou extremamente forte na Copa Do Nordeste e no Pernambucano, entretanto, não tem se encaixado tão bem no contexto diferenciado da série A. Em contraponto ao perfil conservador do Santa Cruz, o Leão investiu em muitas novas contratações, não considerando que o Brasileirão é uma competição de certezas, portanto, não cabem apostas desmedidas.

Apesar das críticas, os comandos técnicos das duas equipes estão bem ajustados, mesmo na má fase. Milton Mendes, treinador tricolor, desde que chegou, fez uma excelente campanha no clube, repleta de resultados positivos, e tem buscado solucionar os desfalques atuais do time. Oswaldo Oliveira não fez diferente; chegou ao Sport após um péssimo “despedida” do treinador anterior (Falcão), deu crescimento técnico ao time e recuperou parte da confiança da equipe na competição, conseguindo, de um modo geral, melhorar a atuação rubro-negra.

Aproveitando-se de seus treinadores, a solução mais eficaz para que os clubes pernambucanos saiam do vermelho está em um estudo aprofundado da natureza do Campeonato. Compreendendo sua essência, Santa Cruz e Sport farão apostas mais precisas e irão atingir um maior aproveitamento nas próximas rodadas, e, quem sabe, alcançar melhores posições na tabela.

Para análises mais detalhadas:

http://podcast45minutos.com.br/programas/podcast-256/

http://globoesporte.globo.com/pe/futebol/times/santa-cruz/noticia/2016/07/grafite-lamenta-ma-fase-do-santa-cruz-e-clama-por-melhoras-no-elenco.html

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s